Fique por dentro dos principais assuntos sobre gestão de Facilities

GERENCIAMENTO DE FACILITIES: conceitos e importância

3/5

Alan Stoffels[1]

Cândido Astrana Jr.[2]

Cíntia M.Bender[3]


[1]Bacharel em Direito, Especialista em Marketing. Sócio da Facile – Gestao de Facilities.

[2]Engenheiro Civil, Mestre em Eng. Civil. Sócio da Facile – Gestao de Facilities. 

[3]Mestre em Economia. Sócia da Facile – Gestao de Facilities.


Apesar de disseminada a importância do Gerenciamento das operações que dão suporte a atividade-fim das empresas, poucas pessoas conhecem ou já ouviram falar no termo FM: Facilities Management, Gerenciamento de Facilidades, ou Gestão de Facilities,traduzido para o Português. 

A área de Facilities, vista de maneira mais ampla, engloba o Gerenciamento dos espaços, atividades e commmodities que dão suporte à operação principal das empresas: (estudos de ampliação de áreas de produção, alteração de layouts de áreas administrativas, otimização de áreas comuns…) espaços,(limpeza, manutenção predial, segurança patrimonial, estacionamento, … – conhecidos como facilidades; assim como água, gás e energia elétrica – conhecidos como utilidades). Portanto, o Gerenciamento de Facilities consiste em obter um bom funcionamento das operações da empresa com racionalidade no uso dos recursos, e assim permitir à empresa o foco na sua atividade-fim. 

Segundo a EuroFM (European Facility Management Network), em 2002 representantes nacionais da FM (Facilities Management) de 15 países decidiram desenvolver uma definição européia de FM. Em 2006, todos os 29 países europeus concordaram em usar a seguinte definição oficial de FM:

Integração de processos dentro de uma organização para manter e desenvolver os serviços acordados que apoiam e melhoram a eficácia de suas atividades-fim(EuroFM)

Eles também definiram termos como benchmarking, cliente, usuário final, serviço de instalação, serviço de instalação integrada, prestador de serviços, fornecedor. Foi acordado que o FM abrange e integra um escopo muito amplo de processos, serviços, atividades e instalações. O campo de FM foi então agrupado sob dois títulos (Espaço e Infraestrutura,  Pessoas e Organização) representando ‘Pessoas, Lugares, Processos’. (EuroFM).

No Brasil o destaque na atividade é mais recente: Segundo Alex F. Gonçalves [1], no livro: “Gerenciamento de Facilities e Properties”, o autor Francisco Abrantes resgatou parte da história do Facilites Management e escreveu que na década de 90, no Brasil, ainda não existiam profissionais especializados nesta área,  e os responsáveis pela administração de serviços eram provenientes das mais diversas áreas de graduação e pertenciam a diferentes departamentos dentro das organizações, tais como RH, financeiro e jurídico por exemplo. Até mesmo o termo: Facilities Management era pouco conhecida e no lugar desta expressão utilizava-se os termos “Serviços Gerais” ou ainda “Manutenção”. Não existia uma gestão centralizada, e muitas vezes serviços similares eram contratados de forma individualizada pelos diferentes departamentos dentro de uma mesma organização. A terceirização das atividades que não faziam parte do core businessdas empresas era parcial e as empresas contratadas entravam neste processo apenas com a mão de obra, sem expertise alguma, o que gerava riscos trabalhistas, problemas técnicos e falta de sinergia. No final da década de 80 e inicio dos anos 90, a abertura do mercado brasileiro para o exterior permitiu a entrada de empresas e processos adotados em países mais desenvolvidos, fazendo com que a atividade passasse a ter maior destaque nas empresas. 

Neste contexto, a introdução formal deste termo no Brasil, assim como dos parâmetros que norteiam as boas práticas das atividades envolvidas, teve início em 2004, com a criação da Associação Brasileira de Facilities – ABRAFAC (QUINELLO; ROBERTO, 2006; apud GONÇALVES, 2018). 

Nas palavras de DA GRAÇA, Moacyr, coordenador do curso de MBA em Gerenciamento de Facilidades da USP,

O Gerenciamento de Facilidades é uma atividade profissional que tem por finalidade o planejamento e a operação de processos eficientes, integrando edificações, equipamentos e serviços (meios) visando dar suporte às pessoas, alinhada às estratégias, para a efetiva consecução dos propósitos (fins) das organizações. A atividade de Gerenciamento de Facilidades deve gerar experiências significativas para todos usuários (em amplo sentido), produzindo transformações e agregando valor às diversas atividades das organizações.

Disponível em: http://poli-integra.poli.usp.br/cursos/gerenciamento-de-facilidades/

Pois bem, este é um assunto que, apesar de ter começado a demonstrar sua importância já nas décadas de 70 e 80 no exterior, na ultima década tem sido introduzido de maneira mais efetiva no Brasil. Não obstante, o esforço no sentido de popularizar esta área, assim como demonstrar a sua importância vital continua. Iniciamos 2019 em um contexto econômico de retorno do crescimento, mas um crescimento lento que exigirá ainda muita racionalidade na gestão dos recursos das empresas. Após amplo enxugamento do corpo profissional das mesmas, e diante de um mercado ainda incerto, a retomada de crescimento exigirá foco dos gestores nas atividades de Core Business. Neste contexto, torna-se imprescindível às empresas possuírem profissionais especializados e habilitados para lidarem, de maneira centralizada, com a gestão efetiva das atividades de Facilitiesque dão suporte à operação da empresa, fator que permite a elevação da qualidade da gestão destes serviços, assim como a redução das despesas que as envolve. 

E para encerrar este breve artigo, a importância da gestão de Facilitiesvai muito além da gestão das despesas operacionais. 

“Pesquisas comprovam que a forma com a qual gerenciamos o espaço de trabalho impacta os índices de produtividade e absenteísmo, possuem efeitos físicos e psicológicos nas pessoas, impactam na qualidade de vida, afetam a saúde e bem-estar, influenciam no comportamento dos empregados, como também impacta no fluxo e na troca de informações entre pessoas.”

(GONÇALVES, 2018).

REFERÊNCIAS

DA GRAÇA, Moacyr. Disponível em: http://poli-integra.poli.usp.br/cursos/gerenciamento-de-facilidades/. Acessado em: 16/01/2019.

EuroFM: European Facility Mahagement Network. disponível em: https://www.eurofm.org/index.php/what-is-fm?showall=&limitstart=

GONÇALVES, Alex F.  2018. Facilities Management: Conhecendo as origens para desbravar o futuro. Disponível em: http://poli-integra.poli.usp.br/cursos/gerenciamento-de-facilidades/. Janeiro/2018.


[1]Mestre em administração, engenheiro eletricista e especialista em gestão de projetos e plano de continuidade de negócios. Já atuou na área de Facilities na General Electric e Esso Brasileira de Petróleo e atualmente é Gerente Regional da CBRE no Rio de Janeiro. Participa também do corpo de docentes do MBA de Facilites Management da AVM no Rio de Janeiro. alex_goncalvesbr@hotmail.com. Disponível em: http://www.revistainfra.com.br/Textos/18362/O-aparecimento-do-Facilities-Management